Entre em Contato

(31) 2526-2700

Nota Fiscal Eletrônica do Consumidor [NFC-e]

Entenda neste artigo o que é a Nota Fiscal Eletrônica do Consumidor, saiba como fazer a emissão e fique por dentro do cronograma de obrigatoriedade da NFC-e.

O que é a NFC-e?

A NFC-e é um documento fiscal eletrônico emitido para o consumidor final. Esta modalidade de nota fiscal está alinhada às propostas do SPED fiscal.

Alguns de seus objetivos são oferecer maior agilidade no repasse de informações fiscais e facilitar a fiscalização e o combate à sonegação.

A NFC-e elimina a nota fiscal de venda ao consumidor, modelo 2, e o cupom fiscal. Trata-se de um documento que pode ter o DANFE impresso por uma impressora comum, sem necessidade de permissões ou a compra de acessórios caros.

Então, se você quer saber mais sobre o que significa emitir a nota ao consumidor e que vantagens ela representa, siga a leitura.

Como emitir a NFC-e?

Antes de verificar o que precisa ser feito para emissão da nota ao consumidor, é importante destacar que esse é um documento fiscal totalmente eletrônico.

Sua existência, para fins tributários, só se materializa virtualmente, de acordo com os preceitos do SPED.

A versão em papel da nota, que vai junto às mercadorias vendidas ou serviços prestados, nada mais é do que o seu espelho, com informações resumidas, e não a nota na íntegra.

Estamos falando do Documento auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica, o DANFE.

Nesse ponto, já temos uma diferença fundamental da nova NFC-e. Ela dispensa o caro Equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF), podendo ser impressa em uma impressora comum.

Dito isso, vamos aos requisitos para emissão de NFC-e:

  • Inscrição Estadual (IE) em dia
  • Conexão com a internet
  • Computador
  • Impressoras não fiscais (térmica, laser ou deskjet).
  • Certificado Digital de Pessoa Jurídica, padrão ICP-Brasil, com o número do CNPJ de qualquer um dos estabelecimentos, caso exista mais de uma unidade
  • Credenciamento na SEFAZ e a devida permissão emitida pelo órgão fazendário;
  • Código de Segurança do Contribuinte – CSC (token), concedido pela SEFAZ na realização do credenciamento.
  • Software emissor de NFC-e.

Parceria Abra Contábil e ContaAzul?

Já a algum tempo a Abra Contábil tem trabalhado em parceria com o sistema ContaAzul, com o objetivo de apresentar a seus clientes uma ferramenta de gestão financeira e comercial prática, completa, eficiente e de excelente custo benefício.

Para atender às necessidades do varejista brasileiro, a ContaAzul já disponibiliza um software para emissão de NFC-e com sistema integrado de emissão de notas ao consumidor para 21 estados brasileiros.

Uma de suas características que o tornam um apoio valioso, nessa fase de transição em que a NFC-e ainda é recente, é justamente sua simplicidade. Trata-se de uma versão descomplicada de um sistema para Ponto de Venda (PDV), destinado ao varejo com retaguarda.

Para o varejista que ainda não têm infraestrutura suficientemente capaz de atender a todas as exigências para garantir o controle da emissão das notas, é uma segurança maior.

Cronograma de obrigatoriedade da NFC-e?

A NFC-e está em processo de implantação para os contribuintes mineiros desde março de 2019 e deve ser concluído em fevereiro de 2020.

Veja abaixo o cronograma de obrigatoriedade determinado pela SEFAZ/MG:

  • 1º de março de 2019: contribuintes em início de atividades e que queiram se cadastrar voluntariamente
  • 1º de abril de 2019: contribuintes varejistas de combustíveis para veículos automotores e as empresas com receita bruta superior à 100 milhões no ano de 2018
  • 1º de julho de 2019: contribuintes cuja receita bruta seja superior à 15 milhões e inferior à 100 milhões no ano de 2018
  • 1º de outubro de 2019: contribuintes cuja receita bruta seja superior à 4,5 milhões e inferior à 15 milhões no ano de 2018
  • 1º de fevereiro de 2020: demais contribuintes cuja receita bruta auferida seja inferior ou igual ao montante de R$ 4,5 milhões em 2018

Entre em contato conosco para mais informações:

  • (31) 2526-2700
  • fiscal@abracontabil.com.br

 

Você conhece todos os tipos de empresas?

Preparamos este guia prático explicando todos os tipos de empresas que existem, um a um, para que você faça a melhor escolha na hora de oficializar o seu negócio.

Sociedade Empresária Limitada (LTDA)

Este tipo de configuração de empresa se constitui a partir de uma associação, com investimento advindo de cada um dos associados, que devem sempre levar a sigla LTDA ao final de seus nomes.

Neste tipo de empresa o administrador não precisa, necessariamente, ser um de seus sócios e os sócios, por sua vez, não precisam ter as mesmas funções dentro da empresa.

As principais características destas empresas são:

  • Precisam conter a sigla LTDA ao final de sua razão social;
  • Devem ser constituídas, no mínimo, de dois sócios, com investimentos que podem variar de valor entre si;
  • Não existe um valor mínimo para a abertura desse tipo de empresa e os valores investidos por seus sócios são proporcionalmente sua porcentagem na sociedade.
  • Todas as responsabilidades atribuídas a cada sócio são ligadas única e exclusivamente à empresa, os bens pessoas seguem protegidos contra possível falência da empresa.

Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI)

Neste tipo de empresa é necessário apenas um sócio para sua abertura, porém, existe um valor mínimo de capital que a empresa seja liberada.

O investimento deve ser de, no mínimo, cem salários mínimos, utilizados como capital empresarial e distintos dos ganhos e finanças pessoais de seus administrador.

Suas principais características são:

  • Os bens do dono não são afetados em caso de falência;
  • Não existe limite de faturamento;
  • O empresário pode escolher o modelo de tributação de sua preferência;
  • O titular pode ter apenas uma EIRELI aberta.

Microempreendedor Individual (MEI)

O MEI também é uma forma prática e segura de abrir uma empresa, gerar seu próprio CNPJ e não necessitar de um sócio ou um capital inicial estipulado para isso.

Com o MEI o empresário pode ter até um funcionário e não pode ultrapassar R$81.000,00 de faturamento anual. 

As principais características de um Microempreendedor Individual são:

  • Contribuição com taxa de R$50,00 mensal;
  • Isenção de COFINS, PIS, Imposto de Renda, IPI e CSLL;
  • Cobertura de diversos tipos de benefícios da previdência, como por exemplo: auxílio doença e licença maternidade.

Sociedade Anônima (SA)

Uma empresa no formato de Sociedade Anônima deve ser sempre formada por dois ou mais sócios  e seus capital financeiro é dividido em ações. Este modelo sempre será uma pessoa jurídica com fins lucrativos.

Por serem empresas compostas por ações, os compradores dessas parcelas passam a ter responsabilidades e direitos sobre a companhia, como por exemplo:

  • Participação nos lucros;
  • Fiscalização da sociedade;
  • Direito de retirada;
  • Voto ativo em assembleias.

Sociedade Simples

Segundo o site “significados financeiros” a definição de Sociedade Simples é:

A sociedade simples (S/S) é formada quando duas ou mais pessoas realizam uma associação, para exercício profissional, capacitada por esses próprios sócios com seus bens ou serviços.

Essa forma de sociedade é feita para atividades específicas, de natureza científica, literária ou artística, sem o intuito de produção e circulação de bens ou serviços como nas empresas comuns.

Os exemplos mais comuns são as sociedades entre médicos, dentistas ou advogados que se juntam para exercerem a própria profissão em conjunto.

E então… Qual seria o modelo ideal para você?

Dúvidas frequentes: INSS

Neste post vamos abordar mais uma dúvida frequente de empresários e empregados em relação ao INSS.

O que é INSS e para que serve?

Com a ajuda do site de significados, vamos explicar o que é o INSS

“INSS é a sigla de Instituto Nacional do Seguro Social. É uma autarquia que foi criada em 1990 a partir da fusão do Instituto de Administração Financeira da Previdência e da Assistência Social (IAPAS) com o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS).

O INSS é ligado ao Ministério da Previdência e Assistência Social e faz o controle do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), que determina o modo de funcionamento do regime de previdência pública no Brasil.

Embora seja o INSS que faça o controle do funcionamento do RGPS, a responsabilidade pela arrecadação das contribuições mensais pagas pelos trabalhadores é da Receita Federal do Brasil.

Para que serve o INSS?

O INSS foi criado para garantir o controle e a execução das políticas destinadas aos direitos de previdência aos contribuintes. Contribuintes como: trabalhadores autônomos, assalariados, domésticos, rurais e os contribuintes individuais, têm direito de receber benefícios por meio do INSS.

Por que devo pagar o INSS?

Com o pagamento do INSS fica assegurado em diversas situações de sua vida. Veja alguns benefícios oferecidos pelo INSS:

  • aposentadoria;
  • auxílio doença;
  • auxílio acidente;
  • salário maternidade;
  • salário família;
  • pensões (por morte ou especiais).

INSS para empresários

O pagamento do percentual do INSS deve ser feito mensalmente aos seus colaboradores, para que, quando o trabalhador precise de algum tipo de assistência ele esteja coberto.

O empregador tem o dever de cumprir com as obrigações legais referentes ao INSS para não correr riscos juntos à justiça trabalhista, que pode, desde obrigá-lo a pagar por conta própria os benefícios necessários aos funcionários até multas mais graves.

Como é calculado o INSS?

O INSS é calculado com base em cada salário, ou seja, não existe um valor fixo de desconto.

Como é cobrado o INSS?

O trabalhador terá o desconto da contribuição ao INSS mensalmente, e poderá ver este valor em sua folha de pagamento.

Quais os valores para as contribuições para o INSS?

A tabela de valores muda todo ano e a tabela de 2019 apresenta os seguintes valores:

Salário de Contribuição (R$)Desconto
Igual ou menor de R$ 1.751,81 8%
Entre R$ 1.751,82 a R$ 2.919,72 9%
Entre R$ 2.919,73 até R$ 5.839,45 11%

Esta tabela é direcionada a todos os trabalhadores que possuem Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) assinadas.

Para quem não possui esses cadastros formais de vínculo empregatício, é possível fazer sua inscrição de forma voluntária e pagar as contribuições necessárias, a fim de obter os benefícios de direito.

Dúvidas frequentes: FGTS

Contabilidade é um um setor de atuação indispensável para a manutenção plena de empresas e de negócios, a questão é que, por ser uma ciência exata, nem sempre parece simples aos olhos de todos.

Pensando nisso criamos artigos destinados a sanar as dúvidas mais frequentes sobre este setor e suas atuações, tornando o dia a dia da sua empresa e até da sua contabilidade mais fácil e dinâmico.

Neste post vamos falar sobre FGTS e sua importância para funcionários e trabalhadores da sua empresa.

O que é FGTS?

Segundo o próprio site do FGTS, o significado da sigla e o porquê dele ter sido criado é:

“O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) foi criado com o objetivo de proteger o trabalhador demitido sem justa causa, mediante a abertura de uma conta vinculada ao contrato de trabalho…

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS foi criado pela Lei nº 5.107, de 13 de setembro de 1966 e vigente a partir de 01 de janeiro de 1967, para proteger o trabalhador demitido sem justa causa. O FGTS é constituído de contas vinculadas, abertas em nome de cada trabalhador, quando o empregador efetua o primeiro depósito. O saldo da conta vinculada é formado pelos depósitos mensais efetivados pelo empregador, acrescidos de atualização monetária e juros.”

Como é feito o cálculo do FGTS?

Todo início de mês, os empregadores depositam em contas abertas na Caixa Econômica Federal, em nome dos empregados, o valor correspondente a 8% do salário de cada funcionário. Este valor pode variar conforme os ganhos de cada funcionário, chegando até a 11%.

O FGTS é constituído pelo total desses depósitos mensais e os valores pertencem aos empregados que, em circunstâncias específicas, podem dispor deste total depositado em seus nomes.

Em quais circunstâncias pode-se utilizar o valor do FGTS?

O FGTS pode ser sacado em algumas circunstâncias bem específicas e sobre isso o site do próprio FGTS destaca:

“Com o FGTS, o trabalhador tem a oportunidade de formar um patrimônio, que pode ser sacado em momentos especiais, como o da aquisição da casa própria ou da aposentadoria e em situações de dificuldades, que podem ocorrer com a demissão sem justa causa ou em caso de algumas doenças graves.”

A seguir mostramos uma lista com as principais formas de um empregado sacar seu FGTS?

  1. Término de contrato de trabalho, quando o funcionário é dispensado pela empresa, sem justa causa;
  2. Na compra de sua casa própria;
  3. Em sua aposentadoria;
  4. Em caso de falecimento do trabalhador;
  5. Em caso de doença grave;
  6. Em caso de desastres naturais;
  7. Ao completar 70 anos;
  8. Ou ao ficar 3 anos sem movimentações na conta vinculada ao FGTS.

Assim, o FGTS, como o próprio nome já sugere é um programa que assegura um fundo para o empregado, que cumpre suas tarefas dentro do regime CLT de contratação.

Departamento Contábil: funções e rotina

Qual é o conceito de contabilidade?

O conceito de contabilidade é:

“a ciência que designa a totalidade dos registros numéricos realizados com o fim de determinar e ordenar, de uma forma completa, todos os movimentos, em valor e em quantidades, efetuados no âmbito de atividade de uma empresa ou entidade similar.

A contabilidade pode ser dividida em contabilidade financeira e empresarial. A contabilidade financeira compreende todas as operações de pagamentos entre a empresa e o exterior (por exemplo, compras e vendas, operações bancárias) e que permite a realização do balanço anual para fins fiscais e comerciais. A contabilidade empresarial ou analítica supõe o uso do cálculo de custos (com as suas correspondentes classes de custos, etc.).”

Dicionário

O que é o setor contábil?

O setor contábil é um setor de suma importância dentro de uma empresa, isso porque ele é responsável por administrar finanças e realizar tarefas ligadas diretamente ao dinheiro movimentado no negócio.

Estrutura de Departamento Contábil

Normalmente um Departamento Contábil é formado por: Contas a pagar e receber,

Folha de pagamento e Controle de estoque. Essa é a estrutura padrão e ela pode variar dependendo do tamanho da empresa, de seu segmento e de sua necessidade dentro do mercado, com relação finanças e rednimentos.

Rotinas de Departamento Contábil

Dentre as rotinas de um Departamento Contábil são feitos: pagamentos, recebimentos, gestão da folha de pagamentos, responsável também por encargos sociais, salários e impostos.

São realizados ainda, relatórios financeiros, balanços e orçamentos, controle financeiro e preservação da empresa contra fraudes e erros.

Quais as principais atividades da contabilidade?

A contabilidade traz benefícios significativos dentro de uma empresa, até porque uma empresa sem a gestão correta de suas finanças e investimentos está fadada ao fechamento. Por este motivo é essencial ressaltar que o Departamento Contábil auxilia ativamente na estruturação e crescimento de uma empresa.

Os profissionais da área conseguem grandes resultados com tarefas, como:

Redução de Despesas – por vezes empresários e donos de empresas não conseguem ver sem o auxílio de especialistas que a redução de gastos e despesas e uma forma muito eficiente de gerar receita.

Melhoria de Fluxo de Caixa – criação de orçamentos guias para toda a corporação, otimizando o fluxo de caixa.

Boas decisões Empresariais – apoio de profissionais que garantam as melhores decisões por meio de dados e estatísticas derivados de seus serviços e levantamentos.

Segurança em investimentos – Assim como a redução de despesas, passar segurança na hora de fechar um investimento também é tarefa do Departamento Contábil.

Retorno Financeiro – Com um setor alinhado e com profissionais especialistas, resta administrar com responsabilidade o retorno financeiro conquistado.

O setor contábil pode ser visto como o pulmão de uma empresa, com ele é possível planejar, organizar e gerir de forma consciente e eficiente negócios de todos os tipos.

Serviços Contábeis: entenda como funcionam e saiba como fazer um orçamento

Os serviços de contabilidade são essenciais para a boa gestão e o crescimento de uma empresa. Por isso é tão importante entender todos os serviços prestados dentro de consultorias, assessorias e escritórios contábeis.

O que são serviços contábeis?

São todos os serviços ligados a análises minuciosas e trâmites diretamente ligados à área fiscal, à área tributária e à área trabalhista dentro de uma empresa.

Quais as funções exercidas pela contabilidade?

Por ser uma área de extrema importância que ajuda a empresários, e empresas em geral, a entender seus lucros e débitos, e gerir tudo isso, seria impossível em poucas palavras explicar todas as funções exercidas por esta modalidade, mas listamos abaixo todas as principais atividades exercidas dentro dos serviços oferecidos.

  • Registro de todos os fatos e fatores importantes, pertinentes a valores monetários, mercados e leis;
  • Organização e controle baseados nas demandas da empresa;
  • Demonstrativos periódicos da situação econômica, patrimonial e econômica da empresa;
  • Análise de finanças e resultados;
  • Acompanhamento e execução de planos econômicos, pagamentos e recebimentos etc;

Quais são os principais serviços de contabilidade oferecidos para uma empresa?

Listamos abaixo os serviços mais importantes e populares de contabilidade entre as empresas:

  • Abertura de empresa;
  • Alterações contratuais;
  • Escrituração;
  • Processamento de folhas de pagamento;
  • Emissão de guias de impostos;
  • Admissão e demissão de funcionários;
  • Obrigações acessórias;
  • Assessoria para planejamento tributário;
  • Assessoria em Gestão Financeira;
  • Emissão de certidões negativas de débitos;
  • Fechamento de empresa;
  • Consultoria financeira;
  • Controle patrimonial;
  • Contabilidade digital;

Para que serve o setor de contabilidade em uma empresa?

A contabilidade é fundamental para controle e entendimento real de um empreendimento, negócio e empresa. É com base na contabilidade que é possível conseguir informações capazes de ajudar em tomadas de decisões, direcionamento de negócios, possibilidade de investimentos e assim, conferir à sua gestão atos coerentes com a situação da sua empresa.

Falando da contabilidade no contexto brasileiro, sua importância se torna ainda mais clara, pois trabalhamos com uma grande complexidade tributária e fiscal em nosso país.

Quanto custam os serviços de um contador?

Esta é uma pergunta que pode gerar grandes dúvidas. Existem profissionais no mercado que cobram por hora, por serviço prestado, por demanda, por mês e isso dificulta na hora de entender os valores reais de um contador.

Podemos dizer que existem demandas de custam em média R$50,00 como uma declaração de imposto de renda e demandas que custam  R$500,00, como uma escrituração fiscal.

No caso, é melhor entendermos o tópico abaixo e adequar esse orçamento para nossas necessidades ou de nossa empresa.

Como fazer um orçamento de serviços contábeis?

Para fazer um orçamento você deve tomar algumas decisões simples.

Você pode contratar um profissional interno ou um terceirizado, novamente vai depender da quantidade de demandas e de suas complexidades.

Em um segundo momento faça uma boa pesquisa, busque indicações, verifique sites e veja as licenças dos profissionais cogitados para os serviços.

Depois desses dois passos, fedina quais serviços irá solicitar, faça o contato, adeque os valores e expectativas e opte pelo que mais se encaixar no seu perfil e nas necessidades de sua empresa.

Laudo Pericial Contábil e suas definições

A perícia contábil é uma importante atividade dentro do setor legal. Com ela, contadores habilitados e devidamente registrados pelo CRC (Conselho Regional de Contabilidade), reúnem materiais por meio de reuniões e conferências que são utilizados como provas na resolução de um caso de litígio.

Litígio, segundo o site significados é:

“um termo jurídico para designar quando há divergência entre as partes da ação, quando alguma demanda é colocada em juízo. Depois de aberta a ação judicialmente, o autor entra com o pedido e o réu deve fazer sua contestação. É neste momento que se inicia o litígio.”

Abra Contábil

Tipos de Perícias Contábeis

Existem dois tipos possíveis de perícias contábeis e vamos conhecer um pouco de cada um a seguir:

Perícia Judicial

Esta perícia acontece quando existe a solicitação de um juiz para que haja a conferência de dados e informações apresentados em tribunal, começando assim o litígio. O perito designado para esta tarefa nunca tem ligação com nenhum das partes envolvidas, tornando o processo imparcial.

Perícia Extrajudicial

Neste tipo de perícia o perito é contratado por uma das partes envolvidas no processo e sua função é analisar trâmites pertinentes ao caso, por exemplo: bens, venda e compra de empresas e assim por diante.

Este tipo de perícia é bastante conhecido na Justiça Trabalhista, pois existe a necessidade da conferência de questões como valores pagos, tempo de trabalho e garantia da função exercida.

Como o próprio nome sugere, neste caso não existe a intervenção judicial, assim como também não há o litígio e a contratação do profissional de contabilidade é feita de forma voluntária, em prol dos interesses de uma das partes.

O que é laudo pericial contábil?

Laudo pericial contábil é  o documento redigido por um contador que expressa sua opinião a respeito respeito de eventos e fatos submetidos à sua verificação.

O laudo pericial contábil deve ter em seu registro o conteúdo de uma perícia de forma abrangente, deve ser elaborado com objetividade, rigor científico, concisão, argumentação e clareza.

Pode conter ainda citações de dispositivos legais, assim ele será considerado de boa qualidade e auxiliará o magistrado, podendo ser muito relevante para a sentença, servindo como apoio técnico científico para que o juiz chegue à uma conclusão sobre o conflito de interesses em questão.

Como elaborar um laudo pericial contábil?

O planejamento é fundamental! O laudo pericial contábil deve conter, no mínimo, as partes descritas abaixo:

  1. Identificação do processo;
  2. Resumo o objeto de perícia;
  3. Metodologia escolhida para execução da perícia;
  4. Identificação das diligências ;
  5. Transcrição e resposta aos quesitos;
  6. Conclusão da perícia;
  7. Anexos e apêndices;
  8. Assinatura do perito.

O que é objeto de perícia contábil?

A perícia contábil só pode ser realizada por um contador habilitado e trata de diversos trâmites que envolvem pesquisa, planejamento, execução e análise. De forma objetiva e superficial os objetivos da perícia podem ser definidos como:

  • Conhecer o objeto da perícia, para definir corretamente os procedimentos a serem seguidos;
  • Definir a oportunidade e extensão dos exames a serem aplicados;
  • Estabelecer as condições ideais de trabalho;
  • Identificar riscos e problemas em potencial;
  • Identificar fatos que possam ser relevantes para o resultado da perícia ao seu final;
  • Selecionar o tipo ideal de legislação a ser seguida;
  • Delegar a divisão de tarefas;
  • Otimizar a execução de todo o trabalho.

O que são quesitos para perícia?

Os quesitos são as indagações do perito feitas a partir do que for descoberto com o objeto da perícia.

Dado o objetivo da perícia as partes envolvidas e o representante legal podem elaborar quesitos (perguntas) pertinentes ao caso para ajudar na perícia o esclarecimento de pontos importantes.

Os quesitos são parte importante em todo processo, pois eles são um fator importante para que o perito-contador se baseie para apresentar em seus documentos instrumentos e termos que auxiliem nas decisões de um juiz ou do árbitro em questão.

Qual a função da perícia contábil?

A perícia contábil é utilizada para ajudar em decisões judiciais, baseadas em elementos subsidiados pela perícia. Existem diversos tipos de perícias:

  • Judicial:realizada dentro dos processos do Poder Judiciário;
  • Semijudicial – Realizada dentro dos termos do Estado;
  • Extrajudicial: Realizada fora da justiça, quando as partes desejam obter verdade sobre algum fato, fraudes, desvios, simulações, dentre outras questões;
  • Arbitral: não é judicial, mas tem o peso judicial já que as partes envolvidas escolhem seus árbitros.

Atualmente podemos verificar que as perícias são muito solicitadas em levantamentos de perdas e danos, dissolução de sociedade, revisão de encargos financeiros e outras questões do mesmo segmento.

Imposto de Renda de Pessoa Física: dúvidas comuns

Quem precisa declarar o Imposto de Renda?

Nem todos os contribuintes são obrigados a entregar a declaração de imposto de renda. Existem critérios pré-determinados que ajudam a identificar se você precisa entregar seu imposto.

Segundo o site da Receita Federal, as pessoas obrigadas a declararem são:

02. Contribuintes que tiveram rendimentos não tributáveis acima de R$ 40.000,00. Rendimentos não tributáveis são aqueles que não geram nem lucro, nem valor líquido, sendo assim não precisa pagar imposto;

03. Para os trabalhadores do campo é obrigatório fazer a declaração do imposto de caso, caso o rendimento anual bruto de renda rural acima de R$ 128.308,50;

04. Contribuintes que investiram qualquer valor em bolsas de valores, mercado de capitais ou similares;

05. Contribuintes com imóvel ou terrenos em suas posses, com valor superior a R$ 300 mil;

06. Trabalhadores que optarem pela isenção de imposto de renda sobre o valor da venda de imóveis, desde que esse seja usado para a compra de outro imóvel em território nacional no prazo de 180 dias.

Qual o valor mínimo para declaração de Imposto de Renda?

Contribuintes que receberam, no ano de 2017, rendimentos tributáveis que totalizaram mais de R$ 28.559,70, ou seja, trabalhadores, aposentados ou pensionistas com renda mensal com valor de mais de R$ 1.903,98 mensal;

Como é cobrado o Imposto de Renda de pessoa física?

O Imposto de Renda para Pessoa Física incide sobre a renda e os proventos de contribuintes que residam no Brasil ou no exterior e recebam fontes monetárias do país.

As porcentagens variam conforme a renda de cada contribuinte, porém os que não alcançarem o limite estabelecido não são obrigados a fazer a declaração anual.

Como fazer a declaração do Imposto de Renda de pessoa física?

A declaração deve conter tudo o que a pessoa ganhou no ano anterior, ou seja, salários, aposentadoria, rendimentos de aluguel, investimentos.

Em um segundo momento é preciso enumerar despesas que irão ser abatidas na declaração e reduzir o valor dos impostos pagos – são as chamadas “deduções do IR”. Por exemplo:

  • Plano de saúde
  • Dependentes (no valor máximo de R$ 2.275,08 por dependente)
  • Educação (escola e faculdade, no valor máximo de R$ 3.561,50 por dependente)
  • Contribuição à Previdência Social (sem limites)
  • Contribuição à Previdência Privada (que correspondam a até 12% da renda tributável).

Todos os valores citados devem ser exatamente iguais aos informados nos comprovantes de rendimentos e de pagamentos.

O que acontece com quem não paga imposto de renda?

A não entrega da declaração de Imposto de Renda à Receita Federal dentro do prazo estipulado (30 de abril de 2019) resulta em pagamento de multa que aumenta conforme o passar dos dias excedidos.

Caso tenha algum problema para fazer sua declaração busque ajuda profissional de um contador ou uma assessoria de contabilidade e garanta sua integridade junto à Receita federal.

Auditória contábil: tudo que você precisa saber

Qual é o objetivo da auditoria contábil?

Auditoria contábil é o levantamento, estudo e avaliação sistemática das transações, procedimentos, operações, rotinas e das demonstrações contábeis de uma entidade com o objetivo de fornecer a seus usuários uma opinião imparcial e fundamentada em normas e princípios sobre sua adequação.

É uma técnica voltada a testar a eficiência e eficácia do controle patrimonial, que vai além de prevenir, minimizar, evitar ou detectar erros e fraudes, ela é uma ferramenta que auxilia no melhor funcionamento dos controles internos das organizações.

O que é auditoria das demonstrações contábeis?

A função primeira de uma auditoria não é tão-somente a identificação de erros ou fraudes.

A princípio, sua prática deve ser entendida como a de assessorar uma administração em relação ao desempenho das atribuições definidas para cada área da empresa, mediante os objetivos por ela determinados.

Nesse sentido, a auditoria das demonstrações contábeis, por meio de seu parecer, é emitido pelo auditor, visando dar maior credibilidade aos registros contábeis.

Quais são os riscos de auditoria?

É perfeitamente possível ocorrerem riscos em auditoria. Aliás, o risco de auditoria ocorre quando a há perspectivas de existirem deficiências materiais no controle e que não são identificadas pelo auditor durante a auditoria.

Isso pode ocorrer quando há uma forma específica de erro de amostragem deficiente; houver impropriedade do processo de avaliação do auditor como resultado de suposições errôneas, desvios observacionais e conclusões ilógicas; inconstâncias estatísticas no que tange ao uso de amostra para conclusão geral sobre um sistema como um todo; limitações inerentes ao próprio processo de auditoria; e quando houver possibilidade de o auditor emitir opinião inadequada acerca de demonstrações contábeis significativamente incorretas.

Auditoria contábil interna e externa

A auditoria interna é exercida por um funcionário da própria empresa, em caráter permanente.

Dessa forma, o auditor interno deve exercer sua função com independência profissional, preenchendo todas as condições necessárias ao auditor externo, mas também exigindo da empresa o cumprimento daquelas que lhe cabem.

A auditoria externa é realizada por profissional liberal, auditor independente, sem vínculo de emprego com a entidade auditada e que poderá ser contratado para auditoria permanente ou eventual.

Normas de auditoria contábil

As normas de auditoria contábil são regras ditadas pelos órgãos reguladores da profissão contábil e tem por objetivo a regulação da profissão e da atividades de contador.

As normas atualmente em vigor no Brasil são emitidas em conjunto pelo CFC – Conselho Federal de Contabilidade, IBRACON – Instituto dos Auditores Independente do Brasil, Banco Central do Brasil, CVM – Comissão de Valores Imobiliários e a Superintendência de Seguros Privados.

A principal norma em vigor no Brasil é a Resolução CFC nº 820, de 17 de dezembro de 1997, que aprova a NBC T 11 – Normas de auditoria independente das demonstrações contábeis.

Auditoria contábil para empresas

Em razão das transformações no mercado de trabalho e o surgimento cada vez mais crescente das  micro e pequenas empresas no Brasil, a auditoria contábil tornou-se um instrumento legítimo para controle e planejamento destas,  PME’s, que representam grande relevância na economia brasileira, especialmente, em relação à geração de emprego e renda.

Se você precisa de auditoria para sua empresa, venha conhecer  a contabilidade proposta pela Abra Contábil que oferece suporte e apoio para que os clientes possam decidir com segurança o melhor para sua empresa.

Traga sua empresa para a Abra Contábil e ganhe o primeiro mês de honorário grátis!

Há mais de 15 anos a Abra Contábil ajuda empresas a decidirem com segurança os rumos a serem tomados.

Entre em contato e abra novos caminhos para seus negócios

Auditoria e tecnologia

Tem curiosidade para saber como a tecnologia e inovação pode tornar a auditoria contábil mais eficiente e ágil na elaboração de relatórios?

O presidente do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon), Francisco Sant’Anna, mostra como a tecnologia pode ser aplicada na contabilidade. Confira:

Uso de drones na contabilidade

Drone é uma das aplicações da tecnologia na auditoria e contabilidade que ajuda na contagem de inventário, de acordo com Sant’Anna.

“As empresas fazem, uma vez por ano, a contagem de seus estoques, para avaliar se o que existe fisicamente bate com o que está registrado na contabilidade. Afinal, podem ter ocorrido perdas, desvios ou fraude. O drone pode ajudar com isso”.

Presidente do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon), Francisco Sant’Anna

Big data na auditoria contábil

A auditoria contábil envolve testar uma amostra de transações feitas por uma empresa. Com base no faturamento da companhia, o auditor determina o número de operações de vendas que devem ser avaliadas e escolhe de forma aleatória quais serão testadas.

Com as ferramentas de big data, esse sistema pode ser mais eficiente.

“Antes de fazer a seleção, o auditor pode trabalhar a massa de dados para selecionar as transações de forma mais direcionada, escolhendo as que tenham mais chances de apresentarem erros”.

Presidente do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon), Francisco Sant’Anna

Robótica e confirmações bancárias

Sistemas automatizados podem ser criados para resolver tarefas repetitivas do trabalho de auditoria de uma contabilidade.

Um exemplo de sistema automatizado é a conferência de saldos de crédito ou empréstimos das empresas junto aos bancos.

“Tem companhia que tem conta em 15 bancos. O auditor precisava enviar cartas a cada um deles, e o banco tinha de responder qual era o saldo”.


“Com a automatização, você ganha tempo de correspondência, não tem extravio, faz essa checagem com muito mais objetividade, menos risco e mais eficiência”.

Presidente do Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon), Francisco Sant’Anna

Escritório contábil: a melhor recomendação

Serviços prestados por um escritório de contabilidade

Em decorrência a constantes e crescentes mudanças no cenário econômico, o profissional contábil deve adequar suas prática, a fim de se manter no mercado.

A Contabilidade é um sistema de informações de aspectos patrimoniais econômicos e financeiros que fornece informações aos tomadores de decisões empresariais.

Dessa forma, a contabilidade ganhou papel de destaque no processo de tomada de decisão, uma vez que a coleta dados, mensuração e registro, são fatores essências para as decisões empresariais.

Por outro lado aumentou o número de serviços contábeis. Hoje em dia muitos empresários recorrem aos escritórios de contabilidade a fim de obterem também consultoria e orientação .

De acordo com especialistas, a evolução da profissão e o aparecimento dos escritórios foi possível a partir da regulamentação da profissão de guarda livros em 1869 e a criação dos Conselhos Federal e Regionais de Contabilidade em 1946.

É por isso que as organizações contábeis precisam estar registradas no Conselho Regional de Contabilidade (CRC) e obedecer ao Conselho Federal de Contabilidade (CFC), tanto as pessoas jurídicas quanto as pessoas físicas.

Os serviços contábeis prestados por uma contabilidade são variados, podendo ser de

  • consultoria,
  • contabilidade,
  • administração de pessoal,
  • escrituração fiscal,
  • expediente (ou serviços comerciais); e de auditoria, perícia e assessoria.

Assim, os escritórios se organizam por departamentos, e essa departamentalização viabiliza a prestação dos serviços.

Os departamentos mais usados são.

  • Contábil
  • Pessoal
  • Fiscal
  • Serviços externos
  • Consultoria

Rotinas de um escritório de contabilidade

A primeira coisa é entender que o escritório de contabilidade possui uma rotina diferente.

Essa dinâmica pode ser percebida em primeiro lugar por ser o escritório de contabilidade dividido por setores.

Dentre eles os principais são

  • recursos humanos
  • fiscal
  • contabilidade
  • imposto de renda
  • auditoria
  • previdenciário
  • legislação

De forma que para conquistar e compreender o cliente, o profissional em contabilidade deve ter uma convivência quase que diária com ele.

Por isso, a relação entre escritório de contabilidade e clientes deve levar em conta  o contrato realizado entre as partes, consequentemente,  desempenhar o trabalho tendo como ponto principal deveres e obrigações das partes envolvidas e que priorize o atendimento ao cliente.

Como escolher um escritório contábil?

Contabilidade é uma atividade que exige tempo para análise. Um escritório de contabilidade é responsável pelo balanço contábil e financeiro, pagamento de tributos, resoluções de problemas relativos ao quadro de funcionários, entre outras questões relativas à contabilidade empresarial.

De forma que é vital que seja feito um bom e minucioso planejamento antes da escolha. 

De maneira que é importante, ao escolher um escritório contábil, verificar se a equipe  é organizada, bem entrosada e alinhada. Além disso, verificar se o escritório não comete atrasos ou perda de documentos.

Recomendação de um escritório contábil

O escritório para ser recomendado deve oferecer, especialmente

  • o registro no órgão de classe,
  • conhecer quais são os serviços oferecidos pelo escritório contábil,
  • estar ciente dos honorários antes de contratar,
  • reconhecer de que se trata de uma equipe especializadas, e
  • construir e manter uma relação de confiança.

Se você está à procura de qualquer serviço dentro da área contábil, venha nos fazer uma vista.

A Abra Contábil atua nas áreas contábil, fiscal, trabalhista e tributária, além de oferecer consultoria financeira e planejamento estratégico aos nosso clientes.

Auditoria Contábil

Averiguar a exatidão dos registros contábeis e das demonstrações contábeis.

Consultoria Financeira

Rever os procedimentos antigos, entender e corrigir os processos.

Contabilidade Geral

Serviços de contabilidade personalizados.

Perícia Contábil

Emissão de laudo sobre questões contábeis.

Venha para a Abra Contábil e abra novos caminhos para seus negócios.

O que é perícia contábil?

Pode-se dizer que o termo “perícia” é o mecanismo usado pelo julgador, ou partes, para conseguir subsídios necessários para suportar a solução de um litígio.

Na verdade, a perícia é uma possibilidade no processo, dependendo da iniciativa das partes ou do juiz.

O que a caracteriza é a declaração de caráter técnico sobre um elemento da prova.

A perícia serve para provar fatos de percepção técnica, que dependem de conhecimento pericial. Ela verifica e certifica. A percepção, observação e apreciação são momentos de verificação. Ela é meio de prova.

A perícia, ainda que uma, é híbrida, incumbindo às partes indicar assistente técnico e também apresentar quesitos.

Nesse sentido, a perícia contábil constitui a reunião de procedimentos técnico-científicos que visam levar à instância decisória todos os elementos de prova que são necessários a subsidiar à perfeita solução do litígio ou constatação de um fato.

Junto à perícia contábil existe o laudo pericial contábil e/ou parecer pericial contábil, que devem estar em conformidade com as normas jurídicas e profissionais, e a legislação específica no que for pertinente.

Tipos de Perícias Contábeis

Existem dois tipos possíveis de perícias contábeis e vamos conhecer um pouco de cada um a seguir:

Perícia judicial

A perícia judicial tem como fundamento ação postulada em juízo, que pode ser determinada pelo juiz dirigente do processo ou a ele requerida pelas partes em litígio.

Perícia extrajudicial

A perícia extrajudicial é contratada livremente entre as partes em pré-litígio.

Tanto a perícia judicial como a perícia extrajudicial é de competência exclusiva de contador registrado em Conselho Regional de Contabilidade.

O que é um parecer contábil?

Trata-se de um documento escrito no qual os peritos registram de forma clara, precisa, simples e abrangente o conteúdo da perícia.

Além disso, o documento do parecer contábil  particulariza e detalha todos aspectos que envolvam o seu objeto e as buscas de elementos de prova necessários para a conclusão do seu trabalho.

Quais são os procedimentos de perícia contábil?

Pelo fato da perícia contábil ser objeto que exerce exame, vistoria e avaliação, em todos os casos usando cálculos, possui uma metodologia.

A perícia contábil deve ser realizada por profissionais da área de ciências contábeis, com experiência e conhecimento em técnico para assim alcançar o objetivo desejado.

Em relação à técnica usada para a realização do laudo pericial, dentro da perícia contábil são previstos procedimentos que devem ser seguidos para a abrangência da própria perícia.

Tal método é regulamentado, de acordo com a Legislação Contábil NBC T 13 (Normas Brasileiras de Contabilidade do Trabalho) e NBC P 2 (Normas Brasileiras de Contabilidade do Profissional).

Sendo assim, a perícia contábil é um meio de prova que contribui com a solução da lide no judiciário, além de identificar, no processo judicial, os aspectos precisos para a apuração da verdade real.

Quesitos de Perícias Contábeis

Os quesitos de uma perícia contábil são as perguntas formuladas pelo juiz ou pelas partes que envolvem o processo e que devem ser respondidas por meio da perícia. O esclarecimento dos quesitos se dá na apresentação do laudo, feita pelo perito aos envolvidos em juízo.

Quesitos podem ser formulados até o ato da diligência, consequentemente, não podendo ser propostos durante a realização da mesma.

O perito deve estar preparado para responder não só aos quesitos elaborados por ele, como também, a quesitos que o juiz traga e as partes também apresentem, sempre respondendo ao que seja pertinente ao processo e que não destoe do que está sendo solucionado. Os quesitos podem ser respondidos e apresentados de duas formas: oral e escrita.

Oral: com o devido cuidado a omissões, obscuridades e contradições o perito pode revelar sua perícia de forma oral na audiência.

Escrita: os quesitos podem ser respondidos por escrito e entregues (os originais) na audiência, para a resolução dos autos.

O perito deve sempre estar atento à linha que dirige os quesitos, se preocupando em não se afastar da mesma e do objeto de perícia, lembrando o quão essenciais os quesitos são. A partir deles serão produzidos os documentos e trazidas as respostas necessárias aos autos para que o juízo possa ser auxiliado na tomada de decisão.

O que é um laudo e para que serve?

De acordo com a NBC T 13, item 13.5, o laudo pericial contábil é a peça escrita na qual o perito contador expressa, de forma circunstanciada, clara e objetiva, as sínteses do objeto da perícia, os estudos e as observações que realizou, as diligências realizadas, os critérios adotados e os resultados fundamentados, e as suas conclusões.

Se considerado de boa qualidade, ele será relevante para a sentença e, certamente, auxiliará o magistrado a chegar à justa resolução do conflito de interesses e proferir uma justa sentença.

Como declarar Imposto de Renda sem erro e problemas

Imposto de Renda é um tema recorrente em nosso blog, isso porque ele faz parte da vida de milhares de brasileiros, por ser um tributo cobrado anualmente pelo Governo Federal, sobre os ganhos, tanto de pessoas físicas, quanto de pessoas jurídicas.

Este é um tema que cria uma certa apreensão em muitas pessoas, por parecer uma dinâmica complicada e confusa, mas não se sinta mal.

Existem formas de simplificar a declaração do seu imposto de renda e vamos falar sobre algumas formas aqui.

O que é Imposto de Renda?

Imposto sobre a Renda da Pessoa Física é um imposto que incide sobre a renda e os proventos de contribuintes residentes no país ou residentes no exterior que recebam rendimentos de fontes no Brasil.

Receita Federal Ministério da Economia

Quem precisa fazer a declaração de Imposto de Renda?

Nem todas as pessoas precisam fazer a declaração de imposto de renda.

Por exemplo, se você

  • é pessoa física, residente no Brasil, com rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 (vinte e oito mil, quinhentos e cinquenta e nove e setenta centavos) no último ano;
  • está dentro categoria dos contribuintes que tenha recebido rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, e que cuja a soma tenha sido superior a R$ 40 mil (quarenta mil reais) no último ano;
  • obteve capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto ou que tenha feito operações em bolsas de valores de mercadores, de futuros e assemelhadas;
  • tiver posse ou propriedade de bens ou direitos, até mesmo um lote de valor total ou superior a R$ 300 mil (trezentos mil reais);
  • é um contribuinte e que tenha passado para a condição de residente no Brasil, em qualquer mês do último ano;
  • tiver optado pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, e o produto da venda tenha sido direcionado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no país;
  • tiver recebido no último ano a receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 (cento e quarenta e dois mil, setecentos e noventa e oito reais e cinquenta centavos) oriunda de atividade rural.

Para mais informações sobre quem é ou não obrigado a fazer a declaração de imposto de renda, confira este post.

Quando começa a Declaração de Imposto de Renda?

Geralmente, o período para declarar o imposto de renda é fevereiro, se estendendo até abril.

Geralmente, o serviço de recepção da declaração, pela Internet, é interrompido às 23h59min59s, horário de Brasília, do último dia do prazo estabelecido.

O que é preciso declarar?

Basicamente, é necessário declarar tudo o que ganhou no ano que passou, como salários, aposentadoria, rendimentos de aluguel ou investimentos, entre outros ganhos.

Além de declarar o que ganhou, é possível informar despesas que podem ser abatidas na declaração, reduzindo assim o valor dos impostos pagos, as famosas “deduções do IR”.

Afinal, quais são essas deduções do IR? Seguem alguns exemplos:

  • Plano de saúde
  • Filhos ou pais (dependentes, no valor máximo de R$ 2.275,08 por dependente)
  • Educação (escola e faculdade, no valor máximo de R$ 3.561,50 por dependente)
  • Contribuição à Previdência Social (sem limites)
  • Contribuição à Previdência Privada (que correspondam a até 12% da renda tributável).

Principais documentos para fazer a declaração de imposto de renda

INFORMES DE RENDIMENTOS

  • Salários ou pró labore (para autônomos);
  • Aposentadoria ou pensão do INSS;
  •  
  • Investimentos (aplicações financeiras tributáveis);
  •  
  • Aluguéis recebidos de bens móveis e imóveis;

BENS E DIREITOS

Documentos que comprovem a compra ou venda de imóveis, veículos e outras posses, extrato de conta bancária.

COMPROVANTES DE DESPESAS

Recibos ou notas que comprovem gastos com educação e saúde (para abatimento).

OUTROS

  • Comprovantes de dívidas contraídas ou pagas no ano-base 2015;
  •  
  • Informe de pensão alimentícia;
  • Comprovantes de doações ou herança recebida;
  • Apuração mensal do imposto no ganho de capital (lucro) com compra e venda de ações.

Como funciona a Declaração de Imposto de Renda?

A declaração Imposto De Renda  pode ser realizada em casa de forma rápida, simples e prática. O programa da Receita Federal cria um programa e, por meio dele, você informará seus dados que serão enviados à Receita Federal.

Em primeiro lugar você deve separar seus documentos e comprovantes de seus recebimentos e as contribuições para o INSS e a Receita Federal que estão retidos na fonte.

Ao preencher os dados, você verá que é possível recuperar as informações da delação anterior no programa. Caso contrário, será necessário que você reúna todos os rendimentos, despesas e dívidas referentes ao último ano, assim como as posses e bens presentes no patrimônio até o último dia do último ano.

Em relação aos seus bens, note-se que o valor que você irá informar deve incidir sobre o de custo no momento da aquisição e não sobre a possível valorização ou desvalorização do bem.

Você pode escolher pelo modelo de declaração simplificado, com um abatimento único de 20% dos rendimentos tributáveis, limitado a 16.754,34 reais ou completo, com as deduções feitas uma por uma.

Pronto. Agora é sói enviar. Em seguida,  o recibo lhe será enviado automaticamente. Imprima-o e guarde-o.

Dicas para quem vai fazer a Declaração de Imposto de Renda pela primeira vez?

  • declare com antecedência,
  • faça o download do programa do Receita Federal Imposto de Renda,
  • reúna documentos,
  • instale o programa gerador de declaração disponível no site da Receita,
  • baixe o programa gerador da declaração,
  • preencha os dados,
  • assinale o modelo de declaração: completo ou simplificado,
  • guarde a declaração e o recibo, e
  • retifique a declaração, caso precise corrigir erros.

Se você preferir, a Abra Contábil faz a sua declaração de forma rápida, pontual e com sigilo absoluto.

Quanto é a multa por atraso na entrega do Imposto de Renda?

Para quem apresentar a declaração após o prazo previsto, uma multa é cobrada da seguinte forma:

  • existindo imposto devido, multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, incidente sobre o imposto devido, ainda que integralmente pago, observados os valores mínimo de R$ 165,74 e máximo de 20% do imposto devido;
  • inexistindo imposto devido, multa de R$ 165,74.

Vale ressaltar que a multa por atraso na apresentação da declaração não é devida para quem está desobrigado de apresentar a Declaração de Ajuste Anual.

É possível retificar a declaração?

Após o prazo final, é possível retificar a declaração de imposto de renda.

A Declaração de Ajuste Anual (DAA) retificadora deve ser apresentada observando-se a mesma natureza da declaração original, não se admitindo troca de opção por outra forma de tributação.

Atenção ao prazo limite para a retificação da declaração! Extingue-se em cinco anos o direito de o contribuinte retificar a declaração de rendimentos, inclusive quanto ao valor dos bens e direitos declarados.

Simulador de Imposto de Renda

Vamos começar falando sobre o simulador de imposto de renda.

Com a correria do dia a dia e a falta de conhecimento sobre economia e contabilidade é comum conhecermos pessoas que não se atentam realmente ao que estão pagando ao Governo.

Pois aí vai uma informação muito interessante, é possível utilizar um simulador para conferir:

  • o que você está pagando;
  • entender quanto você está pagando de tributos;
  • projetar seus ganhos em restituições futuras;
  • calcular quanto você paga para a receita todo mês e ao final de um ano.

A própria Receita Federal disponibiliza esse simulador e ele se torna um aliado na hora de desvendar os mistérios do Imposto de Renda.

Afinal, quanto mais entendemos sobre um tema, mais prático fica lidar com ele, ainda mais neste caso, que exige um dedicação específica anualmente.

Você pode acessar o Simulador de Imposto de Renda clicando aqui.

Uma dica é que na primeira vez que faça sua simulação você esteja na companhia de um contador ou alguém que já esteja familiarizado com os termos utilizados para descrever suas fontes de renda, assim vai ficar mais fácil usar a ferramenta nas próximas vezes.

Programa para Imposto de Renda

A entrega da Declaração do Imposto de Renda é sempre feita pela internet, seja por desktop ou por dispositivos móveis.

Mesmo sabendo que o prazo da entrega deste ano de 2019 já se esgotou, saber por qual programa você deve fazer esse trâmite é essencial para que você não se sinta perdido no ano que vem.

IRPF 2019 (ou DIRF) é o programa que a Receita Federal destinou para que você faça  a sua declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF). O software e o aplicativo estão disponíveis para download no computador:

Windows, Mac, Linux ou celular: Android e iPhone (iOS).

O que é a base de cálculo do IRRF?

A base de cálculo do imposto devido é a diferença entre a soma dos rendimentos recebidos durante o ano-calendário (exceto os isentos, não tributáveis, tributáveis exclusivamente na fonte ou sujeitos à tributação
definitiva) e as deduções permitidas pela legislação.

Restituição do Imposto de Renda 2019

A Receita Federal paga, a partir de junho o primeiro lote de restituições 2019 e também para quem caiu na malha fina em outros anos, entre 2008 e 2018.

O valor é a devolução da diferença de impostos pagos a mais pelo contribuinte e acontece em diversos lotes, de forma ordenada, para todos que declararam o Imposto de Renda.

As restituições são feitas em sete lotes mensais diferentes.

  • 15 de junho
  • 16 de julho
  • 15 de agosto
  • 17 de setembro
  • 15 de outubro
  • 16 de novembro
  • 17 de dezembro.

O dinheiro é depositado na conta indicada por cada pessoa, na hora de fazer sua declaração.

Para saber se já teve sua declaração liberada você pode acessar o site da Receita Federal clicando aqui, ou ligar para o telefone: 146.

Consultoria financeira para pequenas empresas

O que é uma empresa de consultoria financeira?

A consultoria financeira é um campo de estudo que privilegia  a segurança  e a eficiência  no processo de captação (financiamento) e alocação (investimento) de recursos de capital.

 O que faz um consultor financeiro?

É o profissional que possui o conhecimento relativos à organização, devendo, dessa maneira, preocupar-se em estabelecer uma relação de confiança com os gestores das empresas.

O consultor deve apresentar conhecimentos e habilidades necessárias a sua empresa, da mesma forma que a empresa deve estar aberta à colaboração para que as contribuições possam gerar as mudanças necessárias.

Trocando em miúdos, o consultor financeiro exercerá o papel de facilitador diante das mudanças à qual a gerencia e/ou a direção  se comprometerem no decorrer do  processo de mudança que naturalmente irá acontecer e que será fundamental ao crescimento da organização.

Dessa forma, quando você decide trabalhar com um consultor financeiro saiba que o profissional irá adequar/organizar as suas finanças para pagar contas atrasadas e, ao mesmo tempo, conseguir manter uma reserva de recursos para investir em algo, seja uma viagem, trocar de carro ou aumentar os rendimentos.

O profissional irá fazer consultas e analisar, desde fluxo de caixa, estoque, pagamento de salários, tributação, entre outros. A intenção primeira de um consultor financeiro será colocar sua empresa dentro de um padrão financeiro almejado, reduzir os custos e organizar seus rendimentos.

A importância de um consultor financeiro

Ao chamar um consultor financeiro, ele certamente irá criar um planejamento financeiro de forma auxiliar você a aprimorar e potencializar seu negócio,  se fortalecer diante de seus concorrentes e intensificar sua gestão.

A tarefa do consultor é, desde o primeiro contato, ser capaz de se comunicar de forma integral e honesta com você, estar apto a apresentar alternativas, ao mesmo tempo em que busca  soluções e cria probabilidades em cada cenário, aumentando, assim e muito a sua chance de sucesso empresarial.

A consultoria financeira também pode apresentar os riscos inerentes. Ele será um profissional que não vai enxergar sua empresa com uma lente cor-de-rosa.

A importância de uma consultoria financeira para pequenas empresas

O administrador de empresas está cada dia mais complexo e desafiador, de maneira que as Micros e as Pequenas Empresas sofrem um dilema é ainda maior, tendo em vista suas limitações e dificuldades em comparação a grandes companhias.

Levando em consideração que nem todos administradores possuem muitas vezes tempo ou até mesmo habilidade necessária para colocarem em prática técnicas de gestão financeira, há de haver uma orientação por parte de um profissional especializado, de preferência  externo à companhia pode buscar soluções e enfrentar problemas de gestão financeira, auxiliando na correta tomada de decisões estratégicas.

Como a contabilidade pode ajudar o microempresário?

Abrir uma microempresa faz parte do sonho de muita gente, já que ela traz possibilidades de crescimento tanto pessoal quanto profissional, proporcionando para a pessoa uma maior autonomia financeira, tornando-a dona do próprio negócio e tendo assim a possibilidade de crescer e até de ampliar as suas atividades no setor.

Ou seja, administrar uma microempresa é o desejo de muitos, mas para que esse desejo não seja mais uma dor de cabeça, é importante levar em consideração a atuação da contabilidade.

Nesse aspecto, é possível afirmar que o contabilista é aquele que profissional que tem os conhecimentos e os mecanismos necessários para cuidar da saúde da sua pequena empresa.

Graças a ação de uma boa contabilidade para microempresários, o fluxo de caixa do negócio terá um maior controle. Sendo assim, será possível ter uma noção mais segura dos gastos, dos lucros e, dessa maneira, ter uma visão geral do que deverá mudar e no que poderá ser investido.

Para o empreendedor ter a melhor noção possível do negócio a ser gerenciado, é pertinente contar com a contabilidade.

O trabalho de um contabilista contém todos os subsídios adequados para o bom andamento do negócio.

Dessa maneira o microempresário terá mais tranquilidade para atuar como um gestor, estando a par de todos os segmentos do seu negócio.

Além disso, quando é assunto é contabilidade para microempresários, vale conhecer a ABRA Contábil.

Com a ABRA, o microempresário terá o apoio de quem está há mais de 15 anos no mercado da contabilidade, proporcionando assim as melhores soluções empresariais e administrativas.

É graças a um eficiente serviço de contabilidade que os microempresários adquirem a confiança para conduzir seus negócios.

Diante de tudo isso, a contabilidade para microempresários é um quesito muito importante e que sempre deve ser levado em consideração.

Indicação de consultoria financeira

Se você busca assessoria e planejamento financeiro, nós da ABRA Contábil, estamos aqui para lhe oferecer o melhor em gestão empresarial.

Dispomos de uma equipe de profissionais, treinada e qualificada que oferece suporte e apoio aos clientes.

Você pode aproveitar nossos serviços de três formas:

  • por correspondência escrita ou eletrônica;
  • em reuniões ou por telefone, ou
  • a critério e de acordo com a necessidade do cliente e natureza do assunto.

Venha para ABRA Contábil e tenha a consultoria financeira que a sua empresa merece!

Sped: Decreto acaba com a obrigatoriedade do livro contábil

Bem Mais Simples prevê medidas como redução da papelada necessária para abrir um negócio

A presidente Dilma Rousseff assinou no dia 25 de Fevereiro, durante reunião do Conselho Deliberativo do Programa Bem Mais Simples Brasil, decreto que dispensa a autenticação de livros contábeis por juntas comerciais quando enviados por meio eletrônico à Receita Federal.

“Esse decreto acaba com a obrigatoriedade do livro contábil para quem está no Sistema Público de Escrituração Digital (Sped). Para quem não está no Sped, tem a opção de se modernizar e passar para o sistema digital”, informou o presidente do Conselho Deliberativo do Programa Bem Mais Simples Brasil, Guilherme Afif Domingos.

Afif Domingos, que é presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), disse que a economia com a migração de quem hoje usa livros contábeis para o sistema de escrituração digital será de R$ 480 milhões por ano.

Afif Domingos afirmou que o governo tomou as medidas para simplificar o ambiente de negócios no país. “Os projetos visam a tirar o Brasil de métodos medievais e trazê-lo para a era digital. É eliminar burocracia que não faz nenhum sentido no mundo digital.”

Bem Mais Simples
O governo lançou, em fevereiro de 2015 o Programa Bem Mais Simples Brasil e o Sistema Nacional de Baixa Integrada de Empresas, com medidas para desburocratizar os processos para abertura e fechamento de pequenas e médias empresas.

O Bem Mais Simples prevê medidas como redução da papelada necessária para abrir um negócio, unificação de cadastros, agrupamento de serviços públicos para os empreendedores em um só lugar e o fim de exigências que se tornaram dispensáveis com o uso de novas tecnologias, como a internet.

Fonte: FENACON

WhatsApp chat